Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



Ponto de Leituras

Ponto de Leituras

Opinião de Jorge Silva.

Como os textos são escritos com alguma antecedência, no momento em que escrevo este o Dia Mundial da Filosofia ainda é futuro, quando o lerem já será passado. A UNESCO decretou em 2002, a terceira quinta-feira de Novembro como o dia dedicado à Filosofia. De entre as razões para a sua implementação encontrava-se a necessidade de se reflectir sobre os acontecimentos actuais, fomentando o pensamento crítico, criativo e independente, contribuindo assim para a promoção da tolerância e da paz. O objectivo desta comemoração é enaltecer a importância da Filosofia na vida do homem e na vida em sociedade.

A Comunidade de Leitores da Biblioteca Municipal da Maia (CLBMM) integra, de há uns anos a esta parte, no quadro das suas actividades, a celebração deste dia. Já se evocou filósofos, pensadores, temas, sempre num espírito dialogante e conforme à ideia de abrir a Filosofia, desmistificando o seu aparente carácter hermético.

Este ano não foge à regra ainda que desta feita se fuja um pouco ao habitual desenho de Conferência pura e se opte por uma conversa com um convidado para falar sobre um tema sempre presente e candente na nossa sociedade: a Educação.

Uma das disciplinas filosóficas que, justamente, reflecte sobre o fenómeno educativo dá pelo nome de Filosofia da Educação. Nela procura-se, grosso modo, questionar os fundamentos e finalidades da educação no seu sentido mais amplo e humano, não se furtando ao pensar crítico que envolve as políticas e métodos escolhidos.

Paulo M. Morais é o convidado da CLBMM para falar do seu livro “Voltemos à escola” (Contraponto, 2017). Nele se apresenta o projecto da Escola da Ponte, nascido na Vila das Aves, em 1976, ainda os ecos da revolução de Abril estavam frescos. Os quarenta anos de vida testemunham aquela que é uma das mais venturosas experiências pedagógicas feitas no Portugal democrático. O autor após uma completa imersão no quotidiano da escola produziu um texto, a que eu acrescentaria o adjectivo testemunho, que solicita ao leitor que o aprecie criticamente e o pense reflexivamente.

O texto servirá de base para uma conversa com o autor e com os presentes sobre a educação no seu sentido mais genérico, sobre as diferentes representações que dela temos, sobre o sistema educativo e a escola em concreto, sobre as constantes contradições detectadas e nunca resolvidas existentes nos sistemas educativos, sobre as transformações tecnológicas que cada vez mais vêm afectando e confrontado o fazer educativo, sobre os valores subjacentes à educação, sobre o papel dos pais, dos alunos, dos professores no funcionamento das escolas, sobre a importância das comunidades locais que acolhem os estabelecimentos educativos, sobre as diferentes ideias de educação presentes na sociedade… Tudo isto com o contributo do pensar filosófico.

Aproveitar-se-á, também, este encontro para homenagear o pedagogo lusófono, brasileiro de nascimento, Paulo Freire, no ano em que se evoca os 20 anos da sua morte, ele que também contribuiu com as suas ideias para o desenho do Projecto da Escola da Ponte. Apareçam!

24-Nov-2017 às 11:53, Ana Sofia Silva

Escreva um comentário

Políticas Municipais em Saúde: para quando o sucesso junto dos munícipes? Políticas Municipais em Saúde: para quando o sucesso junto dos munícipes...

Opinião de Ricardo Oliveira.

Continuar a ler »