Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



«Pretendemos uma Maia mais solidária e mais sensível aos problemas das pessoas»

«Pretendemos uma Maia mais solidária e mais sensível aos problemas das pessoas»

A Casa do Povo de Vermoim foi o local escolhido para a apresentação do candidato Alberto Monteiro à Junta de Freguesia da Cidade da Maia às próximas Eleições Autárquicas, no passado dia 14 de julho.

Na sua candidatura, apoiada pela coligação “Um Novo Começo” entre o PS e o JPP, Alberto Monteiro pretende «sobretudo, não prometer nada às populações que não possamos cumprir».  Diz estar «a elaborar um programa eleitoral com muita atenção» e «a ver o que as populações, nomeadamente os mais desfavorecidos, os excluídos e os pobres, realmente precisam», na tentativa de «menorizar os problemas dessas pessoas, criando condições para que elas possam ter uma vida com mais dignidade». Para isso, «vamos envolver neste projeto ambicioso todas as forças vivas da Freguesia da Cidade da Maia, quer empresários, quer instituições. Ninguém pode ficar fora deste projeto». 
Em conversa com o MaiaHoje, o candidato admitiu sempre ter tido «boas relações» com a Câmara da Maia, nomeadamente durante as funções exercidas como presidente da Junta de Freguesia de Gueifães, adiantando que irá mantê-las, qualquer que seja a força ganhadora, pois acredita que «não temos inimigos, temos adversários políticos». O candidato pensa que «todos juntos, sem exceção, iremos construir um futuro melhor para a nossa cidade». 
O candidato descreve o projeto da coligação e as pessoas que o envolvem como «aliciantes», razão pela qual diz ter aceite o convite para a candidatura à Junta de Freguesia da Cidade da Maia. Acrescentou ainda que «o que também me levou a aceitar o convite foi o sentimento, que muitos maiatos me passaram, de insensibilidade aos problemas sociais por parte de algumas pessoas que afetam os nossos jovens, famílias e idosos». Por isso, diz que o seu objetivo passa pela construção de «uma Maia mais solidária e mais sensível aos problemas das pessoas». 
«Sinto-me confortável com o apoio das pessoas, trabalhamos para elas. Não trabalhamos em função de partidos, trabalhamos em função das convicções que temos», disse a terminar. 

Ana Sofia
24-Jul-2017 às 11:24, Ana Sofia Silva

Escreva um comentário