Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



Clube dos Pensadores internacionaliza-se com José Ramos-Horta

Clube dos Pensadores internacionaliza-se com José Ramos-Horta

Ao fim de 11 anos, o Clube dos Pensadores internacionaliza-se no seu 116º debate ao receber José Ramos-Horta, vencedor do Prémio Nobel da Paz, no passado dia 1 de junho.

José Ramos-Horta notabilizou-se pelo seu contínuo esforço para terminar com a opressão em Timor-Leste, levando o seu país à independência. Exerceu as funções de ministro dos Negócios Estrangeiros e Presidente da República. No passado dia 20 de maio fez 15 anos que Timor-Leste se tornou independente e terminou com a ocupação Indonésia, iniciada em 1975, assim como, com os conflitos entre timorenses nacionalistas e outros ligados à Indonésia. Fazendo um balanço destes 15 anos de independência sobre a construção do estado e recorrendo a estudos da ONU, Ramos-Horta diz que «Timor-Leste está melhor que todos os outros países africanos com exceção de África do Sul e Cabo Verde. Houve um grande desenvolvimento, tendo em conta que a missão da ONU teve a duração de apenas dois anos. Entregou-lhes um estado independente e Timor fez uma constituição, realizando eleições».
«Tudo estava destruído: escolas, saúde, estradas e infra-estruturas. Foi 
necessário trazer de volta os refugiados e iniciar um processo de reconciliação nacional em vez da perseguição. Foi difícil, mas tiveram que tentar normalizar as relações com a Indonésia e hoje Timor tem excelentes relações, povo-povo e governantes-governantes», continuou o ex-presidente, dizendo que Xanana Gusmão foi «o grande arquiteto da resistência». Para o prémio Nobel da Paz, «Portugal teve sempre um papel central para Timor-Leste», na medida em que «sempre batalhou pela independência e conseguiu ir, mantendo a questão viva na agenda da ONU». Na economia, Portugal está presente no seu país, o que poderá ser uma porta de entrada para aqueles mercados quando Timor-Leste entrar na Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN). Diz-se ainda impressionado com a quantidade de infra-estruturas que estão a 
decorrer no seu país, referindo que o mesmo está a investir na educação/formação 
dos timorenses.
Em relação à língua portuguesa em Timor-Leste, Ramos-Horta lembra a relação 
íntima entre o tétum e o português, referindo que em cada dez palavras ditas 
em tétum, nove são em português, o que revela a influência do português 
no desenvolvimento e formação da língua tétum.
No campo político, decidiu não se candidatar à Presidência da República porque «o atual presidente é meu conhecido e uma pessoa digna», não se sentindo 
confortável ao candidatar-se contra o colega.
Terminou, dizendo que «o futuro de Timor-Leste passa pelo turismo», mas que para 
isso «é necessário crescer noutros campos como, por exemplo, na saúde 
pública e nas infra-estruturas».
Joaquim Jorge informou que o Clube dos Pensadores encerra, deste modo, o ciclo de debates e que, no próximo dia 1 de julho, irá organizar um jantar de Amigos do Clube. 

21-Jun-2017 às 15:58, Ana Sofia Silva

Escreva um comentário

Urbanização da Alameda da Aldeia Nova com intervenção programada para este ano Urbanização da Alameda da Aldeia Nova com intervenção programada para e...

Moradores preocupados com falta de manutenção.

Continuar a ler »