Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



Há ou não há ambulância INEM?

Há ou não há ambulância INEM?

Notícia dava como certo o corte da ambulância INEM à Maia.

Medida seria já a partir de 1 de Maio, entre a meia-noite e as oito da manhã. Câmara e a deputada Emília Santos reagiram de imediato e INEM lançou comunicado ao fim do dia que desmente parcialmente a notícia, mas confirma proposta do INEM para reorganização do horário de funcionamento de Ambulâncias de Emergência Médica. Aguardam-se explicações do ministro.

O Jornal de Notícias da passada, sexta-feira, 28 de Abril, avançou a notícia que o Governo, a partir do dia 1 de Maio e pelo menos até ao final do ano, iria proceder a um reajustamento de horários da ambulância de socorro destinada ao concelho da Maia, decisão que terá sido também tomada a Amadora, Anadia, Aveiro, Chaves, Covilhã, Espinho e Guimarães, num total de oito concelhos envolvidos.

De acordo com o mesmo jornal as restrições devem-se à necessidade de um plano de ajustamento de horários das assembleias de emergência médica em todo o país, por falta de pessoal técnico, havendo alegadamente já dois concursos para colmatar a situação, mas que não produzirão os efetivos necessários antes do final do ano.


Bragança Fernandes reagiu prontamente.


Em declarações ao MH, Bragança Fernandes, presidente da Câmara Municipal da Maia disse que «mais uma vez um governo Socialista anda a brincar com a Maia, mas desta vez com a saúde das pessoas e com esta não se brinca», disse o presidente que garantiu não ter a autarquia sido contactada sobre a matéria, sugerindo ainda ao governo que «se não tivessem perdoado a dívida da EDP já tinham dinheiro para pagar aos técnicos em falta ou as horas extraordinárias», lamentando que a medida seja conhecida em cima da data da entrada em vigor dado que hoje é sexta-feira e somente no dia dois, já alegadamente com a medida em vigor é que eventualmente poderemos discutir. Há também em tudo isto má-fé», disse o presidente na altura.


Grupo do PSD no parlamento pede explicações


Emília Santos, através do grupo parlamentar do PSD também reagiu de imediato no hemiciclo dirigindo uma pergunta ao governo, que diz o seguinte:

«Exmo. Sr. Ministro da Saúde, o Governo prepara-se para reorganizar os meios de emergência do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), já a partir do início do próximo mês de Maio. Sucede que a referida reorganização consiste num verdadeiro racionamento dos meios de emergência do INEM, na medida em que o Governo pretende reduzir o horário noturno de 13 ambulâncias a nível nacional.

Em causa está, designadamente o fecho do horário noturno, entre a meia-noite e as oito da manhã, da ambulância sedeada no concelho da Maia, a qual funciona atualmente 24 horas por dia, respondendo aos serviços do hospital e servindo a população do concelho. Trata-se de uma medida gravemente lesiva das populações, que afeta um concelho com 150 mil habitantes, aeroporto e quatro autoestradas, e com particular gravidade na medida em que o Governo nem sequer dialogou ou avisou a respetiva autarquia local sobre a medida que pretendia tomar.

O PSD repudia a referida intenção do Governo, opondo-se-lhe frontal e totalmente, para mais quanto é certo que, na anterior Legislatura, o INEM teve a sua capacidade e disponibilidade no transporte de doentes urgentes significativamente reforçadas.

Este anunciado fecho de meios de emergência do INEM compromete o socorro às populações, põe em causa o cumprimento da missão do INEM e constitui um claro exemplo do desmantelamento do Serviço Nacional de Saúde por parte do Governo PS/BE/PCP.

Assim, ao abrigo das normas constitucionais e regimentais aplicáveis, vêm os Deputados abaixo assinados, por intermédio de V.ª. Exa., solicitar que o Sr. Ministro da Saúde responda às seguintes questões:

1. Confirma o Governo que a proposta de reorganização dos meios de emergência do INEM, de Abril de 2017, prevê a redução do atual horário de funcionamento da ambulância do INEM sedeada na Maia?

2. Pode o Governo garantir que, em caso algum, será reduzido o atual horário de funcionamento da ambulância do INEM sedeada na Maia?»


«Não se verificará o encerramento de qualquer meio de emergência»


Ao final do dia, em comunicado, o INEM lamentou que «o plano de reorganização do horário de funcionamento de Ambulâncias de Emergência Médica (AEM) tenha sido colocado em discussão pública em fase anterior à sua conclusão efetiva», esclarecendo que «tratou-se sempre de equacionar medidas temporárias que permitissem racionalizar a complementaridade existente» reafirmando que «é possível manter uma resposta local de inquestionável qualidade com a colaboração dos parceiros do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM), uma vez que o sistema de emergência médica funciona em “rede” de complementaridade entre os vários meios de emergência médica colocados ao serviço da população», transmitiram, acrescentando que «os reajustamentos equacionados inicialmente seriam apenas aplicados a 15 das 56 Ambulâncias de Emergência Médica (AEM) do INEM, meios de emergência tripulados por Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar (TEPH), e em locais onde a resposta a situações de emergência médica pré-hospitalar seria garantida, de forma eficiente, pelos parceiros do INEM. Aliás, os parceiros do INEM, designadamente as Corporações de Bombeiros e as delegações da CVP, asseguram já, com elevada qualidade e competência, mais de 80% dos serviços de emergência médica em todo o território de Portugal Continental», transmitiram.

O INEM informa, assim, que «não se verificará o encerramento de qualquer meio de emergência do Instituto», aproveitando para «recordar que anunciou recentemente a abertura, até ao final de 2017, de mais 20 Ambulâncias em Corporações de Bombeiros, completando assim a cobertura de todos os concelhos do país com uma Ambulância do INEM, e a abertura de mais 4 Ambulâncias em concelhos onde já existe Ambulância INEM mas considera-se importante reforçar a capacidade de resposta. O INEM anunciou ainda um plano para renovação da sua frota a 5 anos que prevê a renovação, ainda em 2017, de 41 Ambulâncias. 

O INEM possibilitará em 2017 que 24 novas ambulâncias entrem ao serviço, bem como a substituição de 41 Ambulâncias, num total de 65 novos meios. O investimento estimado, a realizar pelo INEM durante 2017, é de 3,5 milhões de euros», dizem no comunicado.

Aguarda-se a resposta do Ministro às questões colocadas pelo PSD na Assembleia da República, nomeadamente se garante que em caso algum será reduzido o funcionamento da referida ambulância.


08-May-2017 às 10:32, Ana Sofia Silva

Escreva um comentário

Câmara da Maia dá continuidade ao Programa Municipal de Saúde Sénior 60+ Câmara da Maia dá continuidade ao Programa Municipal de Saúde Sénior 60...

No passado dia 16 de novembro, decorreu na Sala D. Pedro IV, nos Paços do Concelho, a Cerimónia Protocolar do Programa Municipal de Saúde Sénior 60+.

Continuar a ler »